CC Radio Portugal

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Amizade entre homem e mulher, mito ou realidade?

Numa sociedade onde tudo é visto com "segundas intenções" há uma certa relutância no que diz respeito à amizade entre homens e mulheres. O facto é que este tipo de relacionamento existe e faz parte do contexto de vida de muitas pessoas, embora para alguns "atrasados" que não tiveram oportunidade de EVOLUIREM em pleno seculo XXI tenho que expressar o que me vai na alma.

Aviso que, sempre posso facultar o meu contacto pessoal e até (porque não) marcar um encontro para suprir essas mesmas "dificuldades de entendimento" caso ainda persistam! Afinal de contas, para tudo é necessário um crescimento individual e até tenho a versatilidade para ensinar o seu significado;

O conhecimento popular prega que a linha que separa a amizade do amor é tão ténue que, numa relação entre homem e mulher que gostem da companhia um do outro, esses sentimentos misturam-se. Na ficção não faltam exemplos de histórias de amigos que se descobrem apaixonados e fatalmente (happy end... quase que obrigatorio na sétima arte) acabam em romance.

Mas será que uma relação de amizade entre homem e mulher obrigatóriamente tem que conter uma pitada de atracção amorosa ou sexual?

A resposta é NÃO.

Para os menos crentes, (para não dizer outra coisa) tenho a dizer que:

Amizade é arranjar forças para segurar o mundo de alguém, mesmo que o nosso esteja no chão e fazê-lo sem nada em troca. Quando um abraço, um beijo, um telefonema, ou seja o que fôr, para muitos são considerados um modo hóstil são esquecidos valores e principios designados como companheirismo e honestidade

O amor até te pode dar asas, mas amizade... essa dá-nos o chão, chama-nos á razão, oferece os seus melhores conselhos, atesta-nos de coragem e na maioria das vezes presenteiam-nos com um balão de oxigénio para nos "obrigar" a seguir em frente.

Agora, se isto acontece entre pessoas do mesmo gênero, porque não pode acontecer com pessoas do sexo oposto? É verdade que a amizade entre homens e mulheres é um fenómeno que só se solidificou nos anos 70, após a entrada feminina no mercado de trabalho, mas custa-me acreditar que após 44 anos ainda existam dogmas desta natureza.

Não devo a cabeça a ninguém, nem sequer tenho a necessidade de explanar esta matéria se não fosse tão divertido perceber que as pessoas das duas uma: ou não têm vida própria e adoram cuidar da vida de quem não conhecem ou me pretendem (como dizem os brasileiros) "encher o saco".
No seguimento do procedente até aproveito dois textos um de claudia oliveira que acho o máximo e o adaptei a mim (claro que de forma exagerada, entenda-se) e outro cujo autor desconheço mas que explica verdadeiramente o sentimento amizade:

Primeiro texto:

"Sim sou puta que não é paga, mas que adora meter-se com os homens das outras, aliás adoro abanar o meu perfeito traseiro (que não o tenho) por forma a propagar a minha inteligência por entre o excesso de gorduritas porque só no meu cérebro não se acomodam; 
Adoro usar tinta preta para cobrir cabelos brancos e a raíz que teima em aparecer todos os meses (tal como a menstruação e principalmente quando estou sob o efeito da mesma aí saiam da frente); Sou letrada em ..... pilinhas talvez; 
Agrado o meu namorado ou ex-namorado, marido, e até os amigos dos mesmos; 
Estou habilitada a receber chapadas por onde passo de mulheres e homens ciumentos; 
Fumo de forma habilidosa, estico os lábios sexys (que não os tenho mas talvez uma cirugia resolva a coisa para funcionar melhor); 
Eu sou a puta que por aí anda a tentar papar os namorados, maridos e afins das outras. Porque isto é como a roupa, quanto mais melhor, mesmo que seja usada".


Segundo texto:

Melhor amigo
: Oi, tudo bem?.
Melhor amiga: Olá como tas?. - Ela abre um sorriso enorme no rosto.
Melhor amigo: Estás bem? - Ela fita-o por um instante e olha para baixo.
Melhor amiga: Claro, por que não deveria estar?
Melhor amigo: Porque percebo quando não estás bem!
Melhor amiga: Tu ajudas-me e enxugas todas minhas lágrimas, só que... - Ela pausa e desvia o olhar várias vezes. Ele levantou-se estendeu as mãos para ela.
Melhor amiga: O que estás a fazer?
Melhor amigo: Vá, confia em mim.
Melhor amiga: Mas... - Então ele a abraça. De olhos fechados. Com o maior sentimento do mundo. A amizade verdadeira.
Melhor amigo: Desculpa.
Melhor amiga: Pelo o que?
Melhor amigo
: Por não ter percebido que estavas com a moral em baixo!
Melhor amiga: Ei, és o meu melhor amigo e enxugas minhas lágrimas lembras-te?
Melhor amigo: Não, isso qualquer um faz. A minha função é lutar para que nenhuma delas caia.

Resumindo: Ás vezes é necessário explicar com desenhos (aqui com palavras) como funciona a realidade entre gêneros e ter em conta que todos nós somos seres eminentemente sociaveis. Existem amizades reais, sólidas e vitalicias. 
Eu sinto-me abençoada por ter amizades variadas, (homens e mulheres) e como em qualquer situação existem mal-entendidos. 

Sou apologista de que entre amizades que viva a poligamia!

E sim tenho não um, nem dois, mas sim TRÊS AMIGOS do peito, que adoro, que lido com ELES diariamente e sim, tenho AMIGAS do peito que adoro, que lido com ELAS diariamente!

As mulheres falam sobre dicas do quotidiano, vidas pessoais, vestuário, calçado, vernizes, dificuldades pessoais e financeiras, o tipico universo feminino.
Os homens são igualmente imprescindiveis, falam sobre assuntos diversificados, agilizam o nosso universo feminino, não fazem dramas, riem-se das nossas manias, trazem novos pontos de vista e até ajudam a enfrentar a tal guerra dos sexos

A amizade é provavelmente o antídoto contra a solidão. Uma boa amizade pode ser forte e leve em simultâneo.
Quando oiço dizer que não existe amizade entre homem e mulher por causa da possibilidade de um envolvimento amoroso, pergunto: Vivemos em que século? 

Concluindo: Amiga de infância, irmã, amigo homem, amigo gay, amigos virtuais, inteligentes, engraçados, amigos que não cobram, que não são rancorosos, amigos gentis, amigos que se mantêm amigos na distância e no silêncio, todos eles ajudam a formar nossa identidade e a nos sentirmos protegidos desta sociedade cada vez mais bruta e individualista. 

E já agora para quem possua um relacionamento: não se esqueça do melhor amigo de todos, e não é seu cão, gato ou hamster: estou falar daquele ser humano com quem se casou, aquela pessoa que convive consigo dia e noite, e cujo vínculo se mantém com muita paciência, humor, respeito e solidariedade, tal e qual como acontece entre os verdadeiros amigos do peito.

Amizade entre o sexo oposto não é sinónimo "amizade colorida" o nome disso é promiscuidade cerebral que só existe quando há carência de auto-confiança!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Nostalgia do passado

Ano de 1992, talvez o ano em que mais poemas escrevi, apenas deixarei alguns, pois outros são demasiadamente pessoais e não espero nem quero fazer deste espaço uma auto-biografia.
Apenas compartilho o que senti.. naquela altura!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

No meu quarto

Corria o ano de 1993, e escrevia, buscava informações sobre o meu "eu", tudo seria motivo para fazer dissertações e acreditar num futuro risonho!
Próprio da idade, daquela idade que sonhamos alto e tão alto demais... 



sábado, 22 de novembro de 2014

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Open again


Por muito que procurasse alterar este blogue, (cheguei mesmo a pensar em terminar...) algo permaneceu no tempo e no espaço.

Foram as memórias, os textos, as pessoas, as palavras e até mesmo o seu template!
Tudo fez parte do meu passado, tudo faz parte do meu presente e não funciona como um simples botão delete, ou um papel, em que nele pegamos, rasgamos, dobramos, amachucamos e deitamos fora!
Não.
Não o posso fazer, precisamente pelas razões já mencionadas:

- Memórias: porque a saudade reve-se num livro em que o autor transporta os sentimentos para o papel, e que na sua maioria transmiti-las verbalmente não têm a mesma profundidade;

- Textos: que recordam sonhos ou desilusões, que permanecem nestas paginas mesmo que as circunstâncias alterem, eles são o reflexo de um marco na história (neste caso da autora);

- Palavras: proferidas, com ou sem destinatário vão fazer parte da minha história, a partir do momento em que iniciei este blogue.

- Pessoas: que nos deixam mais fortes, porque com elas nos trouxeram recordações, sonhos, passagens de vida, experiências, palavras e memórias que jamais eu esquecerei.

- Template: Pois, exactamente é isso mesmo, aquele que me identifica, como uma espécie de mapa mundo, em tons de castanho hehehehehe mas não vou explicar, cada um, que tire as suas ilacções.

Novamente Bem vindos!



Há momentos na vida que nos precisamos de encontrar... não sei se me encontrei, só sei que sem o meu refúgio, não sou eu!

Agradeço o incentivo de quem me impediu de prosseguir e me fez recordar que esta é a minha essência!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Fim!






















Informo a todos os leitores e amigos que este blogue vai sofrer alterações.

A todos o meu muito obrigado por terem permanecido.

domingo, 17 de agosto de 2014

Conversa com Deus!


Sinto-me frustrada e cansada

Com tudo o que me rodeia actualmente

sinto-me exausta e desgastada

psiquica, fisica e emocionalmente

Se a diferença reside na mudança de atitude

Já nem forças tenho para seguir adiante

Não é um desabafo, ou derrota, apenas algo que mude

É simplesmente um monólogo lacrimejante

Uma conversa com Jesus Cristo

Que por seu Pai me abra os olhos.. agora

Não sou de desistir nos imprevistos

mas está dificil manter a calma

Talvez o meu estado de espirito

Lance um grito de ansiedade

que vá para além do infinito

Que me faça emergir alguma acuidade

Mas sou extremista,

Disso eu tenho noção

E neste momento até de mim tenho receio

Que em algo insista

Com determinação e algum bloqueio

Peço-te Senhor ergue-me

da minha tão fraca prestação

Não fosse por meu Pai

Eu já teria perdido.. a razão

Minha lucidez ou essência carecem

de amor, ternura e determinação

Sou fria nesta amargura que prevalece

a dor da qual chama vida... sem razão!
 
 By: Carmen Dolores

sábado, 28 de junho de 2014

Aprendi....

Aprendi....que ninguém é perfeito enquanto não se apaixona.

Aprendi....que a vida é dura mas eu sou mais que ela!!

Aprendi que...as oportunidades nunca se perdem; aquelas que desperdiças... alguém as aproveita!!!

Aprendi que... quando te importas com rancores e amarguras a felicidade vai para outra parte.

Aprendi que... devemos sempre dar palavras boas... porque amanhã nunca se sabe as que temos que ouvir.

Aprendi que...um sorriso é uma maneira económica de melhorar teu aspecto.

Aprendi que... não posso escolher como me sinto... mas posso sempre fazer alguma coisa.

Aprendi que...quando o teu filho, recém-nascido, segura o teu dedo na sua mão tenta prendê-lo para toda a vida!!!!!

Aprendi que...todos, todos querem viver no topo da montanha... mas toda a felicidade está durante a subida.

Aprendi que... temos que aproveitar da viagem e não apenas pensar na chegada.

Aprendi que...o melhor é dar conselhos só em duas circunstâncias... quando são pedidos e quando deles depende a vida.

Aprendi que...quanto menos tempo se desperdiça... mais coisas posso fazer.


(autor desconhecido)



P.S. - Aprendi que... adoro os meus amigos e não os quero perder.. porque fazem parte de mim... alguns em particular.. fazem parte da minha vida.. pena que ás vezes não se dão conta disto mesmo....

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Alma perdida


Ela está só, pensa e reflecte
Na vida, na familia, no amor
As pirâmides da vida
Que na maioria lhe provocam dor

A brisa que lhe cobre o rosto
é salgada e gelada
tal como as suas lágrimas
que secam na sua face rosada

Recordações que não quer sentir
Sente-se cansada de tanto esperar
Receia entregar-se a um novo rumo
E pede a Deus para não o concretizar

Não nega o que sente.. presentemente
Não vive o agora... intensamente
Recorda o abraço que lhe trouxe à vida
quando o seu mundo... esmureceu

Não é assim que geralmente
enfrenta a sua vida
Mas a decisão que tomar
fará a sua vida mudar

Ela está só, pensa e reflecte
sobre a sua maior recordação
que a prendeu à vida 
mas não foi o suficientemente forte
para a manter junto ao seu coração.

Sente-se só.. perdida.. ausente
Não quer falar, quer esconder-se
No seu mundo...
No seu mundo deprimente!

by: Carmen Dolores
13.06.2014

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Ajustes directos de Passos Coelho...(DIGAM-ME QUE É MENTIRA)

"Governo seco, enxuto, disciplinador e frugal", disse um dia Passos Coelho

O Gabinete de Passos Coelho contratou uma empresa para assegurar o atendimento telefónico na sua residência oficial. Isto apesar de ter no seu gabinete dez secretárias pessoais, nove auxiliares e 12 pessoas a prestar apoio técnico-administrativo no Palácio de São Bento. No entanto, apresenta como justificação para o contrato a "ausência de recursos próprios".

Na imagem abaixo, podemos ver os detalhes do contrato.




A empresa em causa, a "We Promote - Outsoursing e Serviços, Lda", já há cerca de um ano havia sido contratada para um serviço em tudo semelhante, conforme imagem abaixo, com a diferença que esse contrato tinha metade do valor do agora celebrado. Quererá isto dizer que o Gabinete do Primeiro-Ministro passou de um a dois telefones?




ACTUALIZAÇÃO:

O facto de a gerente da empresa, Catariana Tavares Paulo Flores, ter sido casada com um irmão da ex-Ministra da Educação do Governo de Santana Lopes, é apenas uma coincidência. Só uma coincidência.

A D. Catarina Flores é igualmente gerente da empresa "H.P. - Hospedeiras de Portugal, Promoção e Imagem, Lda.", a qual conta já com um total de 368.476,87€ (mais IVA) em contratos celebrados com o Estado, por ajuste directo.


Fonte: O Pensador Zarolho

"Governo seco, enxuto, disciplinador e frugal", disse um dia Passos Coelho

O Gabinete de Passos Coelho contratou uma empresa para assegurar o atendimento telefónico na sua residência oficial. Isto apesar de ter no seu gabinete dez secretárias pessoais, nove auxiliares e 12 pessoas a prestar apoio técnico-administrativo no Palácio de São Bento. No entanto, apresenta como justificação para o contrato a "ausência de recursos próprios".

Na imagem abaixo, podemos ver os detalhes do contrato. 
A empresa em causa, a "We Promote - Outsoursing e Serviços, Lda", já há cerca de um ano havia sido contratada para um serviço em tudo semelhante, conforme imagem abaixo, com a diferença que esse contrato tinha metade do valor do agora celebrado. Quererá isto dizer que o Gabinete do Primeiro-Ministro passou de um a dois telefones?
ACTUALIZAÇÃO:



O facto de a gerente da empresa, Catariana Tavares Paulo Flores, ter sido casada com um irmão da ex-Ministra da Educação do Governo de Santana Lopes, é apenas uma coincidência. Só uma coincidência.

A D. Catarina Flores é igualmente gerente da empresa "H.P. - Hospedeiras de Portugal, Promoção e Imagem, Lda.", a qual conta já com um total de 368.476,87€ (mais IVA) em contratos celebrados com o Estado, por ajuste directo.

- See more at: http://opensadorzarolho.blogspot.pt/2014/02/paisasaque.html#sthash.MyL4dUOr.28Msdm6x.dpuf

"Governo seco, enxuto, disciplinador e frugal", disse um dia Passos Coelho

O Gabinete de Passos Coelho contratou uma empresa para assegurar o atendimento telefónico na sua residência oficial. Isto apesar de ter no seu gabinete dez secretárias pessoais, nove auxiliares e 12 pessoas a prestar apoio técnico-administrativo no Palácio de São Bento. No entanto, apresenta como justificação para o contrato a "ausência de recursos próprios".

Na imagem abaixo, podemos ver os detalhes do contrato. 
- See more at: http://opensadorzarolho.blogspot.pt/2014/02/paisasaque.html#sthash.MyL4dUOr.28Msdm6x.dpuf

"Governo seco, enxuto, disciplinador e frugal", disse um dia Passos Coelho

O Gabinete de Passos Coelho contratou uma empresa para assegurar o atendimento telefónico na sua residência oficial. Isto apesar de ter no seu gabinete dez secretárias pessoais, nove auxiliares e 12 pessoas a prestar apoio técnico-administrativo no Palácio de São Bento. No entanto, apresenta como justificação para o contrato a "ausência de recursos próprios".

Na imagem abaixo, podemos ver os detalhes do contrato. 
A empresa em causa, a "We Promote - Outsoursing e Serviços, Lda", já há cerca de um ano havia sido contratada para um serviço em tudo semelhante, conforme imagem abaixo, com a diferença que esse contrato tinha metade do valor do agora celebrado. Quererá isto dizer que o Gabinete do Primeiro-Ministro passou de um a dois telefones?
ACTUALIZAÇÃO:



O facto de a gerente da empresa, Catariana Tavares Paulo Flores, ter sido casada com um irmão da ex-Ministra da Educação do Governo de Santana Lopes, é apenas uma coincidência. Só uma coincidência.

A D. Catarina Flores é igualmente gerente da empresa "H.P. - Hospedeiras de Portugal, Promoção e Imagem, Lda.", a qual conta já com um total de 368.476,87€ (mais IVA) em contratos celebrados com o Estado, por ajuste directo.
- See more at: http://opensadorzarolho.blogspot.pt/2014/02/paisasaque.html#sthash.MyL4dUOr.28Msdm6x.dpuf

sábado, 3 de maio de 2014

Artigo pessoal: EQUIPA INERENTE AO GRUPO LUSITANIA CB



Sinto a necessidade de proferir algumas palavras, como fã e obviamente membro do grupo Lusitania CB.
Dentro deste grupo estão inseridos os seguintes projectos:

Radio Lusitania CB - Este projecto nascido há mais de sete anos, tem por objectivo posicionar-se no mercado pela sua marca - RADIO GENERALISTA

RLCB DANCE - Versão completamente dance, nascida a partir de um projecto pessoal do director da Radio - Carlos Carvalho.

4 fun - Site expressamente consagrado ao entretenimento do internauta.

BANDA DO CIDADÃO LUSITANIA CB - Nascida nos Estados Unidos depois da 2ª Grande Guerra, a CB depressa foi exportada para a Europa. Adeptos da CB utilizam no seu domicilio ou na sua viatura um pequeno emissor-receptor e uma antena que lhes permitem comunicar livremente entre si na faixa de frequências dos 27 MHZ ou banda dos 11 metros.

SERVIDOR eQSO LUSITANIA CB - é o 3º servidor eSQO de CB e PMR de Portugal.

CC Radio - Projecto pessoal de Carmen Dolores e difunsora do Grupo Lusitânia CB. 

Após as apresentações do GRUPO LUSITÂNIACB passo agora à equipa que o compoe:

Carlos Carvalho - Director, Locutor, Webmaster, moderador do Grupo Lusitânia CB e CC Radio

Carmen Dolores - (parceira vip) sub-directora Radio Lusitania CB, Directora da RLCB Dance e CC Radio, locutora, moderadora e designer.

Daniel Carvalho - Pesquisador de êxitos e designer de Youtube, sub-director moderador de chat do GRUPO LUSITANIA CB.

João Gomes - Locutor e moderador da RADIO LUSITANIA CB, moderador de xat da RLCB DANCE.

DJ Peter Sounds - Dj e moderador de Xat das RADIOS LUSITANIA CB e RLCB DANCE.

Fernanda Mesquita - (parceira vip) Autora e apresentadora dos programas Cordel de Palavras e Douce Nuit como Public Relations do Grupo Lusitania CB e moderadora de Xat.

Eduardo Mesquita - (parceiro vip) Autor e apresentador do Programa "Deste lado do Mar", uma das verdadeiras revelações da Radio Lusitania CB e também moderador de xat.

Moderadores de Xat: para além dos já mencionados, aqui também fazem Melissa Morais, a menina que dá voz aos spots cantados da Radio Lusitania CB; Virgilio Carvalho; Odete Spina; Carla Cardoso; Licinia Beringela; Cristina Almeida; João Pereira (parceiro vip) e Paulo Matos (parceiro vip).

Parece que não... mas ainda somos uma equipa consideravel! acima de tudo: COM PERSONALIDADE porque assumimos um COMPROMISSO e esta vertente reflecte-se no GRUPO LUSITANIA CB.

Uma equipa coesa, que dentro do amadorismo trabalha com muito profissionalismo, e seria inviável a continuação do grupo Lusitania CB muitas vezes devido a margem curta de tempo que muitas vezes temos para preparar os nossos trabalhos e apresentar os mesmos com qualidade.

Agarramos com unhas e dentes o nosso projecto, cada um de forma liberal e particularmente com o um unico objectivo: somos bons no que fazemos!

Sim! lutamos diariamente para que O GRUPO LUSITANIA CB funcione e aqui também agradecemos a participação 24h dos nossos PARCEIROS VIPS e no qual têm contribuido e muito com a sua prestação. São mais de 40!

Criar um grupo de trabalho para resolver um determinado assunto é relativamente fácil. Liderar uma equipa cujo nível de desempenho global é superior à soma do desempenho individual já é uma tarefa difícil e nem sempre bem sucedida mas aqui prima por excelência quem está à frente deste Grupo, refiro-me óbviamente ao director Carlos Carvalho.

A resolução de problemas complexos como são os casos de pc's que por algum motivo não funcionam como desejaríamos ou mudanças de servidor que nos tem penalizado no ultimo mês, não nos impediu de continuar a progredir e no que depender de nós, garantidamente não vamos parar.

Neste momento cabe-me frisar que tenho muito orgulho nesta equipa que compõe este grupo com qualificações distintas mas complementares, habilidades, competências, experiências diferentes e um elevado potencial. Discutimos ideias, avaliamos, tomamos decisões, nem sempre as mais acertadas, reformulamos; revelamos capacidade de acção e reacção e nos adaptamos a novas situações. Levamos em conta a opinião e participação dos membros e do qual agradeço que assim nos mantenhamos. Existe uma boa comunicação entre os membros, e em regra geral, um bom relacionamento pessoal.

Mas não tenham a ilusão de que isto é um mar de rosas: NOPE! Existem desacordos e conflitos também como em qualquer familia, mas contornamos e tomamos consciência do que nos afecta e atacamos a fundo o problema em questão.

É possível? SIM

Como grupo exprimimos livremente as nossas inquietudes e opiniões e todos nós possuímos a VIRTUDE DE RESPEITAR para SERMOS RESPEITADOS.
Damos e recebemos feed-backs com o objectivo de sermos melhores como seres humanos e bons profissionais ainda que seja este um hobbie.

Em traços gerais quero abordar algumas das entre muitas características que me fascinam nos LOCUTORES do GRUPO LUSITÂNIA CB


Independentemente de o tratarmos como o "boss" não o vemos como tal, mas sim como um membro da equipa, - Carlos Carvalho - carinhosamente tratado por: "papagaio", é na verdade uma pessoa com valores, muita coragem, sapiência e determinação; afinca os dedos quando alguma brecha teima em abrir ou aparecer e possui uma excelente visão de águia.

Pedro Oliveira, mais conhecido como Dj Peter Sounds domina o melhor do Dance Music e da actualidade. Técnica possui, mas isso é o menos fundamental, sabem porquê? porque ele destila, purifica qualidade musical. Seleciona músicas ou gravações e através delas cria uma atmosfera, que gera sentimentos e responde à reação das pessoas.

João Gomes - ou o nosso "JOHN" possui duas das maiores características que encontramos num ser humano: Genuíno e muito Humilde. Sempre disposto a ajudar, empenha-se com o maior esforço e dedicação ao seu programa viagem nocturna, de corpo e alma entrega-se ao projecto Lusitânia CB que apoia fiel e incondicionalmente. Sempre atento a inúmeras situações procura dar resposta no momento oportuno. Independentemente dos seus obstáculos ele os contorna com um elevado espirito motivador para qualquer elemento da equipa. Somos todos muito defensores do nosso "john", por outras palavras é o nosso menino que não admitimos que nem com uma folha lhe toquem (extensivo de igual forma aos demais membros, mas ao john em particular).


Fernanda Mesquita - Uma das mais belas vozes da literatura portuguesa que nos brinda com os seus programas: Cordel de Palavras e Douce Nuit. Se queremos encontrar a arte da poesia ela encanta-nos com uma sensibilidade extrema e uma ternura cativante que só os mais apaixonados se vão deixar envolver e ampliar os seus conhecimentos.

Deste lado do mar é o programa que surpreende o ouvinte pelas temáticas abordadas semanalmente pelo nosso locutor Eduardo Mesquita. A fusão entre a realidade e o sonho é a arte que amplia e dá significado à nossa existência e nos programas do Eduardo eu revejo-me muitas vezes numa passagem do tempo que me ajuda a entender quem fui e avalio quem sou.


Mas não é só de locutores que esta rádio está formada senão por um conjunto de pessoas que dividem uma direcção em comum e têm senso de comunidade. compartilham e combinam os seus talentos que os dividem conosco, falo dos integrantes que de acordo com as suas possibilidades estão e apoiam directamente o GRUPO LUSITANIA CB: Melissa Morais,Virgilio Carvalho; Odete Spina; Carla Cardoso; Licinia Beringela; Cristina Almeida; José Pereira, Paulo Matos, Parceiros VIPS e OUVINTES do GRUPO LUSITÂNIA CB.


Quanto á minha pessoa não consigo entender nem aceitar a ideia do tão corrente termo: Concorrência!
Lamento e isso seja com quem fôr NÃO TENHO CONCORRENTES. Não por ser melhor ou pior, simplesmente porque actuo e ajo de acordo com a minha forma de estar e ser.
Trabalho e colaboro para vários projectos para que todos se desenvolvam. Não aceito criticas destrutivas e mal-intencionadas. Gosto de crescer como pessoa e ajudar no que me for possível.
Estou aqui para dar e ser o SUPORTE em tudo o que precisarem do Grupo Lusitânia CB.
Tenho consciência de que a vida não está fácil para ninguém e sei que todos aqueles que mencionei aqui por vezes deixam para trás a sua vida pessoal e abrem mão de um refúgio/ hobbie em comum em prol da nossa missão. Para mim, aqueles que integram o Grupo Lusitânia CB são um exemplo, e esta a energia e disposição que transmitem e sabe Deus muitas vezes com o coração partido, é o que me inspira a continuar e empreender um esforço máximo da minha parte na continuação destes projectos.
Temos tido dificuldades sim, mas se assim não fosse, não teríamos evoluído e chegado até aqui. Resta-me agradecer a todos por fazerem parte do Grupo Lusitânia CB. Muitos desafios se avizinham, mas juntos conseguiremos porque sei que somos bons no que fazemos.

Agradeço a todos
Atentamente
Carmen Dolores

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Como lidar com a Decepção?


A decepção faz parte da vida. Afirmo perentoriamente que é necessário para o desenvolvimento humano. O desapontamento, na grande maioria das vezes é um impulso para a ação, fornece-nos motivação para crescer e ir ao encontro dos nossos objetivos. A decepção pode considerar-se sempre que identificamos um erro entre aquilo que desejamos alcançar ou que acontecesse e aquilo que realmente alcançámos ou que aconteceu. 
Sempre que identificamos esta discrepância, na grande maioria das vezes podemos ficar decepcionados, com os outros ou connosco mesmo.

Mas é extamente essa discrepância que nos permite avançarmos, que nos permite questionarmo-nos, que nos permite olhar a realidade de frente e progredirmos. A decepção é uma forma de frustração, e aprender a lidar com a frustração é uma habilidade necessária para conseguirmos lidar com as nossas emoções de forma funcional.

Na vida adulta, muitas são as vezes que as coisas não acontecem de acordo com as nossas expetativas. Muitas são as vezes que as pessoas não agem de acordo com aquilo que esperamos. Por vezes infligem-nos sofrimento, falham connosco, são ingratas e injustas, levando-nos ao sentimento de decepção. Para lidar com este sentimento de forma a não sairmos denegridos, prejudicados e acima de tudo deprimidos, importa sermos flexíveis, importa acionarmos a aceitação da realidade.

Uma das chaves para lidar com a decepção dos outros, é perceber e tomar consciência que somos todos humanos, e os seres humanos são, por definição, seres imperfeitos. Todos nós, cada um de nós, decepciona alguém, em algum momento ou outro. Reconhecer este fato da experiência humana pode ajudar-nos a lidar com a dor da desilusão, quando se trata de aprofundar a nossa capacidade de amar e conetarmo-nos com a “imperfeição” dos outros.
Todos temos modelos pelos quais aprendemos a agir no mundo. 
Essas pessoas transmitem-nos algumas linhas de orientação que nos servem ao longo da vida. São pessoas que admiramos, que idolatramos e que acima de tudo respeitamos. No entanto, essas pessoas de referência também são humanas, cometem erros, deslizes e por vezes injustiças, direta ou indiretamente, acabando por decepcionar-nos. No processo de enfrentar as frustrações (processo de ruptura com o modelo), grandes e pequenas, quer em tenra idade quer na idade adulta permite-nos colocar à prova as nossas habilidade de enfrentamento, e com isso desenvolvermos a capacidade de nos ajustarmos à realidade das situações.


Este processo pode ser complicado, mas aplicando alguns passos você pode conseguir ultrapassar o sofrimento da sua decepção:
  • Fale sobre a sua decepção. Abordar o assunto pode parecer fazer piorar a dor no início. Mas, acredito que ao falar sobre os motivos e acontecimentos que o conduziram até à sua decepção pode ser promotor de esclarecimento e da procura de um atenuante. Conversando com amigos, parentes, ou um profissional pode ajudá-lo a processar os sentimentos e a restabelecer o equilíbrio emocional.
  • Lembre-se que existem sempre várias versões para uma história. Tente obter mais informações antes de tomar qualquer ação ou tomar qualquer decisão sobre como responder a uma situação.
  • Coloque-se no lugar da outra pessoa. Mesmo se você tenha uma opinião diferente, não diga, “Eu nunca faria isso.” Quem sabe, você até poderia fazer se estivesse na mesma posição.
  • Seja gentil com você mesmo. A raiva, que pode ser o seu sentimento primário, muitas vezes é uma reação à dor. Tente reconhecer o quão você se sente magoado e tenta amenizar a sua dor com gentileza e bondade. Esforce-se por não ficar demasiado ressentido ou rancoroso.
  • Converse com a pessoa que foi alvo da sua decepção, se for possível, pode ser útil, mas às vezes pode piorar as coisas. Então, seja claro sobre o que você pretende alcançar com essa possível conversa. Insultar ou atacar provavelmente não vai ajudar. Procure envolver-se numa discussão realista sobre o que a outra pessoa fez, e o quanto isso tem perturbado você, pode ser útil.


Por exemplo, sempre que você tenta afogar a sua desilusão, negar os seus objetivos e sonhos ou mesmo desistir deles, você está realmente apenas rejeitando quem você é verdadeiramente. Ao subjugar os seus desejos, as suas vontades, os seus objetivos, os seus sonhos, as suas visões, o seu verdadeiro eu, você anula-se. Quando você tenta negar os seus desejos reais, você está apenas consumindo-se. Você pode tentar fingir que está tudo bem e continuar normalmente na sua vida quotidiana, mas você não pode enganar o seu subconsciente. Quando você se separa dos seus valores e daquilo que é significativo para si, a vida começa a ser vivida de forma vazia. Com o tempo, você corre o risco de ir-se afundado num estado de decepção e insatisfação que pode conduzi-lo para um estado de apatia geral. Você começa a viver todos os dias “sem vida”, sem paixão ou entusiasmo. Você passa a sentir-se estéril e vazio. Com alguma naturalidade você pode cair em depressão.

A boa notícia é que lidar com a decepção não tem de ser desta forma. Você não está sozinho na sua desilusão. Todos nós somos susceptíveis à decepção e certamente em algum momento iremos ficar decepcionados. Seja com os amigos, familiares, professores, gestores, colegas de trabalho, enfrentar a decepção é uma realidade da vida. Não é um fenómeno exclusivamente seu. Ainda que na grande maioria das vezes a decepção possa ser disparada por um gatilho do qual você não tem plena consciência, você pode proativamente lidar com isso de uma maneira consciente. Desde que aprenda como lidar corretamente com as suas decepções, você pode levar a vida de forma funcional, em alinhamento com as suas paixões e desejos interiores.
Procure atividades positivas, onde possa energizar-se a si mesmo. Que atividades você mais gosta de fazer na sua vida? Identifique-as. Pode-se escrever isso numa folha de papel, jogar, andar no parque, assistir a um filme de comédia ou conversar com amigos divertidos. Se você acha que ler o seu livro favorito puxa por você, em seguida, pegue no livro e comece a lê-lo. Se dar um passeio à beira-mar ou à volta da sua casa torna-o mais descontraído, em seguida, saia de casa e desfrute da brisa lá fora. Se jogar pode fazê-lo sentir-se melhor, vá em frente e jogue. Faça tudo o que possa fazê-lo sentir-se melhor. Às vezes, simplesmente passar algum tempo sozinho pode ser a melhor maneira para você arrumar as suas ideias e recuperar a energia perdida.

Ligue-se aos seus valores, desejos, interesses e não aos resultados.
 
Por exemplo, digamos que você foi a uma entrevista na empresa “A”. A Empresa “A” oferece um pacote de benefícios grande, você já ouviu elogios sobre o local. Você pretende fazer uma carreira na empresa “A”. No entanto, você é preterido por outro candidato a quem consideraram como tendo um melhor perfil para o cargo. A empresa passa a ter uma política de apenas aceitar um candidato uma vez a cada dois anos. Não há nenhuma maneira de você tentar de novo nos próximos dois anos. O que você deve fazer a partir daqui?

O segundo passo para lidar com a decepção exige que você olhe para os seus desejos e objetivos e não propriamente para o seu resultado obtido. Comece por reconhecer que um emprego na empresa “A” é apenas uma projeção dos seus desejos internos. O seu desejo interior pode ser o de obter uma carreira desafiante e ter um emprego num ambiente de trabalho dinâmico. Se tentou e não conseguiu um bom resultado, há muitas maneiras para alcançar o seu desejo, como trabalhar na Empresa G, Empresa X, ou mesmo a criação do seu próprio negócio. Trabalhar na empresa “A” era apenas uma das muitas maneiras de você poder conseguir isso.
Neste exemplo, era importante não personalizar a decepção. Ou seja, era importante não ficar decepcionado consigo mesmo, nem atribuir descrédito às suas capacidades ou habilidades. Nestas situações, tal como referido anteriormente é importante encarar a realidade dos fatos, e não entrar num ciclo de negatividade. É importante perceber a razão do abatimento e da frustração, mas depois, com clareza tentar perceber que na base da desilusão está algo bom: os seus desejos. E esses desejos podem continuar a alimentar as suas ações no sentido de chegar onde pretende. A decepção só é prejudicial quando você a usa para o travar, para o imobilizar na sua frustração e impedir que continue em frente.

Liberte-se da sua ilusão mental

 É importante trabalhar a sua capacidade de adaptação às circunstâncias da vida e à mudança, desenvolvendo a sua flexibilidade de pensamento.  Muitas pessoas permanecem num estado desapontado porque ficam enraizadas nas suas expectativas acerca de como a realidade deve ser. Se você está decepcionado com alguma coisa, muito provavelmente pode estar a alimentar certas percepções sobre como as coisas deveriam ser. Estas percepções não são a realidade, elas são invenções criadas por si na sua mente, não propriamente falsas, mas elaboradas nas suas crenças e formas de olhar o mundo. Nem verdadeiras, nem falsas. Mas se estão contribuindo para a sua decepção, merecem ser revistas, merecem um outro olhar.
Estas ilusões mentais são desencorajadoras porque mantêm-no preso num estado negativo. Algumas dessas ilusões são alimentadas por distorções do pensamento, impedindo-o  de progredir na direção para onde você pretende ir. Lidar de forma assertiva com o desapontamento requer que você fique ciente das suas ilusões mentais.
Quando você está desapontado, pergunte a si mesmo: “o que é que me está a fazer ficar preso neste sentimento? A que falsas percepções é que eu estou a agarrar-me ? Que ideias fixas da realidade eu estou a levar em consideração?
Procure essas ilusões, uma por uma. Pergunte-se como e quando você passou a ter essas ilusões. Consciencialize-se delas e liberte-se delas. Estas ilusões são o que lhe dá uma visão errada da realidade. Elas estão impedindo que você aja construtivamente sobre a sua situação ou viva a sua vida da maneira que pretende.


Provavelmente perante uma situação como a descrita anteriormente você ficaria desapontado, essa experiência é realmente exemplificativa que existia um equívoco no seu pensamento. A apreciação inicial levou-o a concluir que o que fez e sabia era suficiente para alcançar o resultado pretendido, que na verdade não foi. Em vez disso, você pode precisar de aumentar os seus recursos ou mudar a sua abordagem para alcançar os resultados desejados. A sua decepção tem realmente como finalidade  ajudá-lo a mover-se em direção aos seus objetivos, e não conduzi-lo para longe como se pensava inicialmente.
Neste exemplo, e sendo abordado de forma construtiva, iria servir para a obtenção de novas lições, seja sobre si mesmo, a situação ou mesmo do mundo. Você ganhou alguma coisa que ninguém mais poderia fornecer-lhe. Como pode um resultado negativo ser um revés se lhe deu algo novo para aprender? Você chega a um novo nível de consciência e crescimento que nunca teve antes. A decepção serviu-lhe, promoveu-lhe novos entendimentos e formas mais funcionais para obter o que desejava.

 Avance: foque-se em fazer o melhor que puder

Lidar com a decepção não é definitivamente uma tarefa fácil, mas se você trabalhar focado nas etapas mencionadas acima, acabará por ajudar a retirá-lo do estado vazio e confuso que provavelmente se encontra. Ainda que alguns dos seus objetivos do passado possam ter culminado em decepção, isso pertence ao passado. Você agora tem a possibilidade de lidar com as frustrações de uma forma mais funcional e vantajosa para si. Mantenha-se focado nos seus desejos e nos seus sonhos de vida. Não olhe os resultados como fracassos usando a decepção como uma paralisia da ação. Com os seus desejos em mente, continue em frente.  Tal como como transmiti no artigo: Flexibilize-se, adapte-se e tire vantagem da mudança. No entanto, tome nota para não prender-se ao fracasso ou falha de alguns dos seus objetivos. Quando você faz isso, começa a cair na armadilha de associar a sua própria pessoa aos objetivos menos conseguidos. Isso não é sustentável, porque esses objetivos são apenas resultados externos, que são impermanentes. Você é muito mais que os seus resultado ou decepções. Você é aquele que pode aprender e crescer com isso.

Em cada situação que sabe poder conduzi-lo ao seu objetivo, escolha as ações que lhe permite viver em alinhamento com os seus desejos mais íntimos, de acordo com as suas habilidades, dentro dos seus contextos situacionais. À medida que você for fazendo isso, não há razão pela qual  possa sentir-se para baixo, porque tem feito tudo aquilo que pode fazer.
Quando você começar a fazer isso, vai perceber que é capaz de viver conscientemente e livremente em vez de sujeitar-se aos resultados. Você é capaz de canalizar construtivamente a paixão dos seus desejos mais íntimos para viver o tipo de vida que você quer.

In: Excertos do artigo de Miguel Lucas em "como lidar com o decepção"

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Procuras trabalho? Esta agência tem disponíveis vagas para ti!

Impressionante não posso dizer que me comovi, aliás até porque sinto a sua ausência... e cada vez mais.
De todas as formas fica aqui expressa a minha homenagem este ano ao dia daquela que é uma das minhas referência: A minha Mãe.

Passando à frente, esta agência recruta funcionários para o trabalho mais dificil do mundo.

24 candidatos foram testados para a vaga, mas nenhum aceitou os termos. E tu aceitarias?

Quem iria querer um trabalho destes?
Full time, sem horas para descanso, 135 horas por semana, que exige o máximo do funcionário, conhecimentos em medicina, finanças e culinária, sem férias nem feriados (incluindo Natal e Ano Novo), sem horas para dormir e o pior: sem nenhuma remuneração, apenas por AMOR.

Provavelmente, consideras estas exigências insanas e ilegais. Os 24 candidatos entrevistados para o posto também o consideraram... mas milhões de pessoas exercem este emprego sem sequer reclamar: AS MÃES.

A campanha, em homenagem ao Dia das Mães, foi realizada pela agência Mullen. Foram publicados anúncios reais na internet e em jornais. Nenhum dos candidatos conhecia o propósito real da campanha. O Dia das Mães este ano será comemorado no dia 11 de maio.

Confira abaixo o vídeo e veja as reações dos candidatos. Realmente é um trabalho pesado, mas extremamente compensador.



In: AD e Youtube

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Parabéns CC1

O blogue Refúgio da Carmen em Parceria com toda a Equipa da Rádio Lusitânia CB vem por este meio desejar as maiores felicidades ao Papagaio do Ano 2014, Carlos Carvalho.
Um abraço de parabéns de toda a equipa que contigo segue e permanece firme junto a ti.



Parabéns CC1

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Portugal vs Oportunidades - artigo pessoal


Lamentavelmente a procura de trabalho é tanta e a oferta está escassa; por outro lado, contam-se pelos dedos as empresas que valorizam os seus funcionários, é certo que santos da casa não fazem milagres, mas Portugal tornou-se num País de Engenheiros, licenciados e Doutores e até mesmo estes ou emigram ou se submetem a “oportunidades” cujo rendimento é à custa de mão-de-obra barata. Se para estes a meta está dificil, então que dirão os técnicos?
As exigências chegam ao ponto requerer administrativos licenciados, deixando ao acaso vários anos de trabalho, dedicação e esforço...
O resultado para muitos de nós apresenta-se negativo: é desanimador e muito sinceramente para além de me sentir desacreditada no mercado de trabalho constato que um papel certificado vale mais que a experiência adquirida ao longo dos anos de trabalho.

Não espero que o meu leitor concorde, mas este é um desabafo de quem sente que apesar de possuir inumeros “talentos” (na minha opinião são vocações) raramente estes foram aproveitados e não passaram apenas de contratos "com prazo de finalidade caducados"...

Atentamente
Uma das muitas desacreditadas em Portugal

quinta-feira, 20 de março de 2014

O Dentro e o Fora


Recebi este texto através de uma grande amiga minha, que a considero como irmã: Carla Sofia Cardoso.
Compartilho esta mensagem e cada um que tire as suas ilacções!

O DENTRO E O FORA

Só há duas maneiras de viver. Conectado ou desconectado. Conectado, em ligação profunda com quem se é, com o que se veio aqui fazer, com as mais diversas maneiras de se exteriorizar o Ser. Porque para se exteriorizar o Ser, antes tem de se Ser. E para Ser, tem que se interiorizar tudo.

O que se sente, o que dói, o que nos faz felizes e infelizes, onde está a nossa liberdade e consciência, o que nos maltrata, o que nos faz mal, e também o que nos faz bem e o que nos eleva. Como vês, tudo se passa dentro. Tudo o que fazes é uma consequência do teu estado interior.

Se o que fazes não dá certo, se as tuas acções não resultam, é porque não reflectem o teu mundo interior. No mínimo reflectem um mundo interior evasivo, desconcertante e desconexo. Por isso as acções não dão certo – são materializações da nossa inconsistência.

Neste caso, o que terás de fazer é olhar para dentro e ver do que estás a fugir. Encarar esses demónios, deixar doer o que tiver de doer, e depois de tudo limpo, aceder à tua alma, à tua essência. Só aí, então, agir. As acções promovidas pela alma são sempre e sem excepção correctas, iluminadas e gratificantes. Essa é a única via da evolução.

Há outra maneira de viver: a desconectada. A pessoa não sabe quem é, foge do que sente, refugia-se em bens materiais para enganar a dor. E o resultado é a perda, a dor, a frustração e a doença. A escolha é sempre vossa.


Jesus


Ps. - "Never try to cure the body without first curing the soul." -
Beijocas mana. Adoro.te!

sábado, 15 de março de 2014

Revolta daquela que nem é engraçada nem cai em graça!

Sinceramente é muito frustrante!

É frustrante teres uma série de vocações e não seres aproveitada(o) para nada!
Cansa-me viver numa localidade viciada pelas mesmas pessoas, pelas mesmas actvidades, pelos concursos onde sempre vencem os mesmos!
O pior é que sou muito directa, doa a quem doer. Não sou engraçada bem caio em graça!
Sou aquilo que sou, com os meus ideiais, talvez mais virados para o comunismo, sei lá, é-me indiferente, mas apresento trabalho sei o que sou, não valorizam porque os vicios estão incutidos numa sociedade carregada de egocentrismo.
A esta altura desprezam o que seja trabalho!
valorizam o que lhes chamo de lambe-botas.
Lamento, assim não sou.
Sou eu!
Penso e digo o que penso, explico os meus motivos, masa verdade é que não os compreendem!
Sinceramente nem me interessa.
Não admira que santos da casa não façam milagres. consigo ser melhor aproveitada por um país que não me conhece do que pelo meu próprio.
Ainda hoje tive esta prova!
É revoltante!

Gaantidamente haverei de mudar de País, de vida, de costumes, porque quem não valoriza o trabalho dos seus não merece respeito, não merece que lhes conceda o valor que julgam ter aproveitando-se de inumeras situações para se sobressairem sem qualquer pudor.
Revoltante, desmotivador!

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Mãe: saudades não só hoje mas todos os dias...


Bem! vamos a isto, tinha jurado para mim mesma nao falar muito do dia de hoje, não porque não me recorde, muito pelo contrário, recordo-me cada vez mais e nitidamente cada momento, cada olhar, cada passagem de slides que vão encontro daquele meu pensamento que ousa fugir por entre o passado que ainda corrói a alma...
Não quero ir abaixo mais ainda, inevitavelmente começo a sentir alguma repulsa e irritabilidade porque não me deixam reviver este dia à minha maneira.
Preferencialmente queria silêncio, gostaria só por hoje não sentir a pressão de segurar as barras de nínguém... bem parece complicado.
Sei que é dificil para toda a gente e hoje ainda mais para alguns.. estranho... para mim é dificil todos os dias!
Mas sinto a obrigação de seguir em frente, não que descure os sentimentos, mas estou a aprender a lidar com esta ausência... no silêncio.
Sim, é verdade, procuro mil e umas coisas para ocupar-me.. como sempre o fiz.. nºão sei se é a correcta ou a errada, mas considero que esta é a forma não de ultrapassar mas talvez seja a unica que me seja possível enfrentar para aliviar.
Não vou negar... sinto-me de rastos...
Quero seguir em frente ainda mais pelos qe me rodeiam... mas caramba:
Não necessito que me o recordem... eu sei, eu sinto, eu sempre senti e aqui continúo!
Pode parecer uma sensação egocêntrica mas no momento é-me indiferente.
Só quero que me respeitem, que respeitem os meus sentimentos e sobretudo... o meu silêncio!
Estou sem paciência.. e ainda.. revoltada, triste, muito triste.
Não quero derramar-me em lágrimas, mas reconheço que a qualquer momento pode acontecer.
A forma que encontro neste momento para te recordar ou talvez me convencer que estejas bem, resume-se no sorriso do teu olhar, ou nas tuas mãos trémulas acariciando as minhas e que pronunciavam palavras de esperança, cobertas de disfarce para que eu não sentisse a tua dor...
Quero que a tua memória seja lembrada não com a dor que outrora sentimos mas com aquilo que me deixaste: o teu legado!
A tua força, a tua personalidade, a tua garra que fizeram de mim mais Mulher, que me ajudaram a enfrentr todos os meus receios de cabeça erguida e me ensinaram os altos e baixos da vida mas sempre com humildade e jamais me deixar pisar.
O teu legado proporcionou-me conhecer o que é ser carinhosa e amar sem pedir nada em troca, ensinou-me a ir à luta mesmo quando cair, levantar e tentar novamente: isto sim, fez de mim vencedora.
Não porque ganhe algum tipo de batalhas ou guerras, mas sim porque quando caí, me ensinaste que em tudo o que fazemos adquirimos conhecimento e sapiência para uma outra oportunidade.
Ensinaste-me inumeras coisas mãe: ainda hoje tento aprender a ter paciência e esperar pelo momento certo para agir.
Mas o que mais me incustiste foi ter orgulho nas minhas cicatrizes.
Já dizia Paulo Coelho que Deus nos mostra o ciclo da vida e da ressureição, e neste ciclo não há vencedores, nem vencidos, apenas etapas que devem ser cumpridas.
Eu estarei aqui até que Deus considere que a minha missão está cumprida. E não ficarei no chão, pois só é derrotado quem desiste e considero-me vitoriosa.
A derrota tem um final quando nos empenhamos num novo combate, já o fracasso não tem um final: é uma escolha de vida.
E não estou sózinha, sei que diariamente estás comigo e por tanto te aar sei que cumpriste com a tua missão e agora precisas de repouso, para que possas viajar pelos céus e manifestar-te de outras formas.
Ainda que me sinta na solidão, compreendo e aceito este meu amor que és tu e que partiste e precisarás de seguir outro novo rumo.
Só peço a Deus que cuide de ti e faça tudo aquilo que não fiz por ti.
Estás entregue nas mãos de Deus, estás no seu colo e por este motivo, sinto-me grata por tudo.
Beijocas mãe, amo-te!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

A saúde e a Mente!


"É a nossa própria mente que causa os nossos problemas, não são as outras pessoas, não é o "mundo lá fora". É a nossa própria mente, com o seu quase caudal de pensamentos, a pensar no passado, a preocupar-se com o futuro.
Nós cometemos o grande erro de nos identificarmos com a nossa mente, de pensarmos que ela é quem nós somos, quando de facto somos seres de longe muito maiores do que ela."

Marc Alleu
Escritor

sábado, 11 de janeiro de 2014

“Relato de uma Depilação de Virilha” (100 x lol)

Enviaram-me este texto pela net. Chorei de tanto rir. Desconheço o autor, mas acreditem quem ler vai se rir tanto como eu!

“Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve. Mas acho que pentelho não pesa tanto assim. Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa. Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecológica-estética.
— Oi, queria marcar depilação com a Penélope.
— Vai depilar o quê?
— Virilha.
— Normal ou cavada?
Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
— Cavada mesmo.
— Amanhã, às… Deixa eu ver… 13h?
— Ok. Marcado.
Chegou o dia em que perderia dez quilos. Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui. Assim que cheguei, Penélope estava esperando. Moça alta, mulata, bonitona. Oba, vou ficar que nem ela, legal. Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado. Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor. De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas. Uma mistura de Calígula com O Albergue. Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
— Querida, pode deitar.
Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca. Mas a Penélope mal olhou pra mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas. Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Meu Deus, era O Albergue mesmo. De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.
— Quer bem cavada?
— é… é, isso.
Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
— Os pelos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda .
— Ah, sim, claro.
Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei. De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).
— Pode abrir as pernas.
— Assim?
— Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobra os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.
— Arreganhada, né?
Ela riu. Que situação. E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha Virgem. Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.
Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar. Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expressão, para fingir que era tudo supernatural.
Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.
— Tudo ótimo. E você?
Ela riu de novo como quem pensa “que garota estranha”. Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes.
O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar Penélope. Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer. Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinhas.
— Quer que tire dos lábios?
— Não, eu quero só virilha, bigode não.
— Não, querida, os lábios dela aqui ó.
Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios? Putz, que ideia. Mas topei. Quem está na maca tem que se fuder mesmo.
— Ah, arranca aí. Faz isso valer a pena, por favor.
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigail.
— Olha, tá ficando linda essa depilação.
— Menina, mas tá cheio de encravado aqui. Olha de perto.
Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas. Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. “Me leva daqui, Deus, me teletransporta”. Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.
— Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram um pelinhos, tá?
— Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la. Mas mal sabia que o motivo para isso ainda estava por vir.
— Vamos ficar de lado agora?
— Hein?
— Deitar de lado pra fazer a parte cavada.
Pior não podia ficar. Obedeci à Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.
— Segura sua bunda aqui?
— Hein?
— Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela estava de cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la. Fiquei pensando nela acordando à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
— Tudo bem, Pê?
— Sim… sonhei de novo com o cu de uma cliente.
Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cus por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos? E aí me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá?
Fui impedida de desfiar o questionamento. Pê puxou a cera. Achei que a bunda tivesse ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais. Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo. Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.
— Vira agora do outro lado.
Porra… por que não arrancou tudo de uma vez? Virei e segurei novamente a bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.
— Penélope, empresta um chumaço de algodão?
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando pra quem? Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.
— Terminamos. Pode virar que vou passar maquininha.
— Máquina de quê?!
— Pra deixar ela com o pelo baixinho, que nem campo de futebol.
— Dói?
— Dói nada.
— Tá, passa essa merda…
— Baixa a calcinha, por favor.
Foram dois segundos de choque extremo. Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da perereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
— Prontinha. Posso passar um talco?
— Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
— Tá linda! Pode namorar muito agora.
Namorar… namorar… eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. Mas doía e incomodava demais. Queria matar minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso. Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada”
(anonimo)

Beijinhos e espero que se tenham divertido tanto quanto eu me diverti